-É responsável pela edição das principais leis protetivas, incluindo o
artigo 32 da Lei Federal nº9605/98, que tornou crime ambiental a prática de maus-tratos a animais e pelo Decreto Federal nº24.645/34.

– Fundou o Movimento Antivivisseccionista Brasileiro, que contesta  o uso de animais vivos para testes, pesquisa e ensino;

-Criou o Conselho de Proteção e Defesa Animal do Município de São Paulo;

-Elaborou a tese de inconstitucionalidade da eliminação de cães e gatos saudáveis pela Administração Pública, o que deu amparo à aprovação da Lei Estadual Paulista nº  12.916/ 2008, proibitiva de tal eliminação, cujo projeto de lei  foi também redigido pela entidade, e já se tornou lei em outros cinco Estados;

– Deve-se à UIPA a farta documentação  de que hoje dispõe o Movimento de Proteção Animal como munição contra os rodeios, pois foi o trabalho  da entidade que fez surgir os laudos técnicos contra a prática, além de ter  elaborado parecer que esgotou a matéria, com descrição das  provas  (montaria, laço e  derrubadas),  e a exposição de todos os possíveis  argumentos  contra os rodeios. Pareceres  técnicos jurídicos, fotos, artigos, vídeos e matérias jornalísticas, dentre  outros documentos que surgiam graças ao trabalho da UIPA, foram  encaminhados aos promotores de justiça, inspirando o
Ministério Público e outras associações a se insurgirem contra a prática, sempre munidos de  material encaminhado pela entidade.

-Sua  Clínica Veterinária, inaugurada em 1919 como o primeiro hospital veterinário do país, além de pioneira é  beneficente, à medida que  reverte toda a sua receita para a manutenção das atividades da entidade, incluindo seu centro de recuperação de animais vitimados por abandono, acidentes  e crueldade;

-Colheu  provas contra a “ Farra do Boi” que garantiram a vitória  histórica no STF contra o Estado de Santa Catarina, em 1997. Recentemente, em ação proposta pela UIPA, o Estado foi  condenado a pagar multa superior a R$1milhão de reais por descumprimento reiterado de decisão judicial que o condenou a coibir a barbárie catarinense.

– Autora da representação ao Ministério Público Federal que resultou na adoção de medidas preventivas contra a Leishmaniose Visceral;

-Redigiu a lei municipal nº 14.146/2006, que veda o tráfego de veículos de tração animal em São Paulo;

-Solicitou à Presidência da República a destinação de uma área  para  refúgio de animais silvestres, o que ocorreu um ano depois, com a criação do Parque Nacional do Araguaia;

-Recebeu da Câmara Municipal de São Paulo a Medalha Anchieta e o Diploma de Gratidão da Cidade de São Paulo;

-A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo conferiu-lhe a Medalha da Constituição;

-Da Sociedade Geográfica Brasileira recebeu a medalha Marechal Rondon;

-É decretada de utilidade pública estadual pela Lei nº 7514 de 1962 e de utilidade pública  municipal pelo Decreto 28.198 de 1986.